Vinte jogadores para ficar de olho na Copa do Mundo – Parte I

Carregando o posto de ser o maior evento esportivo do planeta, a Copa do Mundo se tornou, obviamente, um ‘evento’ em que muitos jogadores até então não muito conhecidos do grande público conseguem mostrar toda a habilidade que possuem. Os exemplos de atletas que conseguem transferências para grandes centros da Europa após o Mundial são muito grandes.

Dessa maneira, o DoisLances preparou um artigo citando 20 jogadores que todos deveriam ficar de olho na Copa do Mundo da Rússia. Podem até ser atletas conhecidos por alguns fãs do futebol europeu, mas que, com certeza, são desconhecidos do público em geral. São os chamados ‘Underdogs’.

873931214.jpg

Foto: NurPhoto/Getty Images

Piotr Zielinski

Clube: Napoli

Desempenho na temporada: 7 gols e 3 assistências

Posição: MC/MEI

Tendo participado de 36 jogos na última Serie A, seu desempenho de 4 gols e 3 assistências no torneio pode parecer baixo, mas o polonês de 24 anos participou de, pelo menos, 75 minutos de uma mesma partida em apenas oito oportunidades. Diante do ótimo meio-campo formado por Allan, Hamsik e Jorginho, Zielinski não conseguia muito tempo de jogo, mas sempre se portava bem dentro de campo quando era exigido.

Zielinski é o tipo de jogador que encaixa nos moldes de Maurizio Sarri, homem que treinou o Napoli nas últimas três temporadas: ótimo controle de bola, leitura de jogo apurada o suficiente para ter noção suficiente do contexto em que está inserido dentro de campo e, consequentemente, muita movimentação e qualidade nos passes.

Durante as Eliminatórias, Zielinski era o meia criativo no 4-2-3-1 de Adam Nawalka na Seleção Polonesa. Nos últimos amistosos, porém, o treinador testou uma formação diferente, o 3-4-3, que levou o atleta para atuar na linha de três ofensiva, ao lado de Lewandowski e Grosicki. Arkadiusz Milik, porém, teve um bom final de temporada, ganhando ritmo após uma lesão e pode herdar uma chance nessa área do campo, o que traria Piotr para a área do meio-campo.

893603708.jpg
Foto: MB Media/Getty Images

Abdullah Ateef

Clube: Al Hilal

Desempenho na temporada: médias de 1,4 desarmes e 44 passes certos por partida; 0 gols e 2 assistências

Posição: VOL

Otayf – outra ‘variação’ de seu nome – é um dos melhores jogadores do futebol asiático e o único jogador dessa lista a atuar em um clube desse continente. O atleta de 25 anos tem quatro irmãos e um fato peculiar é que todos resolveram seguir a carreira de jogadores profissionais, mas nenhum deles chegou a ser convocado para a seleção principal da Arábia Saudita.

Abdullah é um verdadeiro controlador do jogo. Volante, é o jogador responsável por fechar os espaços no setor do meio-campo e organizar os ataques pós-recuperação da bola, com seu apurado passe, sua principal qualidade. Como todo bom passador, tem um controle de bola e da presença do seu corpo em certo espaço que impressiona. Seus lançamentos e passes de ruptura constantemente criam chances para o Al Hilal, clube em que joga.

Na seleção de Juan Antonio Pizzi, sua função não é diferente: participando do jogo mais pelo lado direito, Ateef consegue verticalizar as jogadas, seja com passes pelo chão ou pelo alto – contra a Grécia, por exemplo, seu trabalho de movimentação, saindo da direita e vindo para o meio, foi capaz de encontrar Mohamed Kanu livre dentro da área, na jogada que resultou no segundo gol saudita naquele dia.

Menções honrosas: Salman Al-Faraj (MC, Al Hilal) e Fahad Al-Muhallad (MD, Levante)

657426130.jpg
Foto: NurPhoto/Getty Images

Salif Sané

Clube: Hannover 96 (assinou com Schalke 04 para próxima temporada)

Desempenho na temporada: médias de 7.3 rebatidas e 1.8 interceptações por partida; 4 gols e 1 assistência

Posição: ZAG

Primeiro defensor da lista, o zagueiro senegalês teve a temporada de sua vida, sendo um dos melhores jogadores da posição na última Bundesliga – as atuações foram tão boas que ele assinou um pré-contrato com o Schalke 04, que foi vice-campeão do torneio, e trabalhará com o promissor Domenico Tedesco na próxima época.

Apesar dos 1,96 metros de altura, Sané é um zagueiro acima da média em termos de movimentação em relação à outros jogadores da posição com estatura semelhante. Mesmo que a saída de bola não seja seu forte, o senegalês não deixa a desejar no quesito. Seus principais destaques são, de fato, a dominância no alto – tanto ofensiva quanto defensivamente – e a noção de posicionamento, que, atrelada a uma boa condição física, resultam em um jogador muito interessante.

Ao lado de Kalidou Koulibaly, um dos destaques do Napoli há pelo menos duas temporadas, Sané formará uma das melhores duplas de zagueiros do torneio (ou trio, em conjunto de Kara Mbodji ou Saliou Ciss, já que o treinador Aliou Cissé testou essa variação na última Data Fifa) – apesar de ambos não receberem o reconhecimento que merecem por grande parte dos acompanhantes do esporte.

693711500.jpg
Foto: Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images

Iago Aspas

Clube: Celta de Vigo

Desempenho na temporada: 23 gols e 5 assistências

Posição: PD/ATA

É bastante subestimado por conta de uma tenebrosa passagem pelo Liverpool. Desde que retornou à Espanha, porém, teve um bom desempenho no Sevilla e se tornou o ‘dono’ do Celta, encontrando sua melhor forma da carreira. Aos 30 anos, foi o jogador espanhol que mais fez gols na última La Liga, com 22 tentos – apesar de jogar em uma equipe muito inconsistente.

A principal qualidade de Aspas é atacar os espaços de campo. Principalmente nos contra-ataques, o espanhol consegue percorrer distâncias e construir transições com extrema facilidade, aproveitando seu estilo de jogo, que é marcado pela velocidade, drible e na condução da bola. Nesse contexto, pode ser importantíssimo para a Seleção Espanhola, que não possui muitas opções que podem oferecer correria durante os jogos.

Iago Aspas é um jogador muito técnico, que consegue ser completo nos quesitos ofensivos. Ao mesmo tempo que finaliza jogadas com perfeição, consegue encontrar companheiros a partir da troca de passes. No cenário da Seleção Espanhola, pode ser, ao lado de Marco Asensio e Rodrigo, o jogador responsável por aproveitar todas as oportunidades que o criativo sistema de meio-campo criará.

871693634.jpg
Foto: Francois Nel/Getty Images

Johann Berg Gudmundsson

Clube: Burnley

Desempenho na temporada: 2 gols e 8 assistências

Posição: MD

Em terras lideradas por Gylfi Sigurdsson, outro nome também consegue se destacar pela Seleção Islandesa: Johann Gudmundsson. Atuando como meia pelo lado direito, o alteta de 27 anos foi um dos destaques do Burnley na temporada, tendo o cruzamento, a qualidade na execução de bolas paradas e o posicionamento como principais atributos.

Gudmundsson se torna um meia criativo e construtor sem estar necessariamente no meio, já que, cortando em diagonal vindo do lado direito – sua posição –, cria situações positivas para o seu estilo de jogo. Foi um importante expoente na temporada da equipe de Sean Dyche, que em alguns jogos não atuava com um meia de criação, o que aumentava ainda mais a responsabilidade do islandês, que encaixa perfeitamente no jogo requerido pelo treinador inglês.

Na Islândia, a história não é diferente: em um time que fica pouco com a bola nos pés, a noção de campo de Gudmundsson é importante na construção e conclusão de contra-ataques, a principal arma ofensiva do time treinado por Heimir Hallgrímson.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.