Equilíbrio e aposta em jovens: conheça os convocados da Inglaterra para a Copa #2LnaCopa

Foto destacada: Clive Rose/Getty Images

Copa do Mundo 2018 está cada vez mais próxima: em menos de uma semana, a bola rola para o maior torneio de futebol do planeta. Por isso, a campeã de 1966 Inglaterra procura ter uma boa participação, mesmo que o título pareça improvável.

Doislances, assim, analisou as melhores opções do English Team em cada setor do campo, buscando entender o que cada atleta chamado por Gareth Southgate pode agregar à Seleção. O treinador usa a palavra “potencial” para descrever a equipe, que, nesta edição, está repleta de jovens.

Goleiros

Jordan Pickford – Everton
Jack Butland – Stoke City
Nick Pope – Burnley

goleiros
Fotomontagem: Pedro Henrique Quiste

A ausência de Joe Hart na lista de convocação surpreendeu a muitos. Um dos fatores que indicavam sua seleção era a experiência, já que era o arqueiro mais velho entre os candidatos pela vaga. Southgate, no entanto, preferiu deixar esse ponto de lado e apostar nos jogadores que tiveram uma temporada melhor, e é curioso perceber que os três listados somam apenas 10 atuações pelo time nacional.

Dessa forma, não há nenhuma certeza sobre quem será o goleiro titular na Copa, apesar da aparente vantagem de Pickford. Butland vem logo em seguida, tendo sido chamado para a Seleção há alguns anos, mas com poucas oportunidades. A presença de Pope demonstra que o treinador realmente manteve seus critérios, já que o atleta do Burnley nunca entrou em campo pelos Three Lions, mas teve boas atuações e foi recompensado.

Defensores

Kyle Walker – Manchester City
Danny Rose – Tottenham
John Stones – Manchester City
Harry Maguire – Leicester
Kieran Trippier – Tottenham
Gary Cahill – Chelsea
Phil Jones – Manchester United
Fabian Delph – Manchester City
Trent Alexander-Arnold – Liverpool

defensores
Fotomontagem: Pedro Henrique Quiste

A proposta de Southgate, no começo das Eliminatórias Europeias, era usar um esquema com quatro homens na linha de defesa. No entanto, à medida que os jogos foram disputados, a formação passou a ter três jogadores centrais e incrementou seu meio de campo.

Não faltam opções, porém os atletas que devem ter a titularidade são Walker, Cahill e Stones. A já existente compreensão entre o primeiro e o último, companheiros no Manchester City, deve ser um fator fundamental para o sucesso desse estilo de jogo – trabalhando as jogadas desde a própria intermediária.

O defensor do Chelsea, por sua vez, não teve uma grande temporada e tem a vaga ameaçada por Maguire. O jovem atleta do Leicester já mostrou capacidade de jogar com a bola, tem um bom passe e é um bom marcador, podendo ser a peça buscada por Southgate.

Meias

Jordan Henderson – Liverpool
Dele Alli – Tottenham
Jesse Lingard – Manchester United
Eric Dier – Tottenham
Ruben Loftus-Cheek – Chelsea
Ashley Young – Manchester United

meias
Fotomontagem: Pedro Henrique Quiste

A intenção da Inglaterra é ter um meio de campo consistente, com boa capacidade ofensiva e que consiga exercer pressão alta na saída de bola adversária. Assim, é bastante provável que os conhecidos Henderson, Alli e Lingard sejam titulares e liderem o setor de cinco homens, seguindo a ideia do comandante.

Caso haja necessidade de aumentar o poder defensivo, Eric Dier – que muitas vezes joga como zagueiro – deve ser usado por Southgate. Para completar, Young, Rose e Trippier podem atuar pelos lados do campo. Atletas com inteligência para entender a movimentação da equipe serão fundamentais para o funcionamento do meio da Inglaterra – abrindo espaço ao avançar, fazendo boas ultrapassagens e possibilitando a inversão de jogadas.

A ausência de Jack Wilshere também foi uma surpresa. Apesar de possuir uma certa tendência à lesões, o meia do Arsenal teve boas aparições na Uefa Europa League, mas não foi chamado. Mesmo assim, a introdução de Loftus-Cheek e Delph amplia a versatilidade do elenco geral.

Atacantes

Harry Kane – Tottenham
Jamie Vardy – Leicester
Raheem Sterling – Manchester City
Marcus Rashford – Manchester United
Danny Welbeck – Arsenal

atacantes

É indiscutível que Kane é o melhor jogador da Inglaterra, e talvez seja “top cinco” melhores do mundo. Com 76 gols marcados nos últimos dois anos, a estrela do Tottenham é peça fundamental para um eventual sucesso da Seleção.

A outra vaga do ataque ainda não tem nome definitivo. O mais provável é que Sterling seja o titular, já que tem boa movimentação em campo e ajuda na fluidez da equipe, mas a qualidade de suas finalizações ainda preocupa. A jovem promessa Rashford, que marcou um lindo gol no último amistoso, pode sair do banco e atuar como um “12º jogador” sempre que necessário.

Em relação à Jamie Vardy, que se destacou nas últimas temporadas com o Leicester, deve permanecer como plano B e entrar de vez em quando. Welbeck, por sua vez, deve ser a última opção ofensiva, já que tem problemas com inconsistência de atuações e histórico de lesão.

Logo-FEDEFUTBOL-scss
Foto: Reprodução / Twitter / England

Até onde vai a Inglaterra na Copa do Mundo não se sabe, mas a expectativa é atingir pelo menos as quartas de final. Se isso não acontecer, paciência. Gareth Southgate já deixou claro: essa Seleção tem potencial, com muitos atletas jovens e que podem se desenvolver ainda mais para 2022.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.