O que esperar dos talentosos convocados por Didier Deschamps

Créditos da imagem destacada para Getty Image Sport/Frederic Stevens

O prazo estipulado para a divulgação oficial dos convocados para a Copa do Mundo da Rússia 2018 terminou na última segunda-feira (4). E a seleção francesa enviou os nomes de todos seus jogadores que terão a chance de dar ao povo francês a sua segunda taça do mundo.

As referências francesas foram convocadas e estarão presentes na Copa, como Griezmann e Pogba. A única ausência mais sentida por lesão, foi a de Koscienly, o experiente zagueiro do Arsenal sofreu uma grave lesão (rompimento do tendão de Aquiles) na semifinal da UEFA Europe League contra o Atletico de Madri. Dentre os escolhidos pelo técnico Didier Deschamps estão jogadores jovens e de imensa qualidade, e jogadores que agitam o mercado de transferências europeu, como Kylian Mbappé, Fekir e Lemar. São tantos jovens na seleção francesa, que acaba que a França é a seleção de média de idade mais baixa para a Copa do Mundo junto com a Nigéria, 26 anos apenas.

O treinador Deschamps teve ainda que deixar alguns bons nomes de fora, como Martial, Rabiot, Lacazette e Coman, jogadores que estão na lista de suplentes da França.

Análise

Goleiros: Areola (PSG), Lloris (Tottenham) e Mandanda (Olympique de Marseille);

As opções para a meta francesa são boas, e cada arqueiro selecionado por Deschamps fez uma boa temporada em suas equipes. Lloris é o principal goleiro convocado, e deve ser titular. Apesar de estarem um degrau abaixo de Hugo Lloris, Areola e Mandanda fizeram boas temporadas. O primeiro foi campeão da Ligue 1 com o PSG, e o segundo ajudou o Olympique de Marseille à chegar até a final da UEFA Europe League.

Defensores: L. Hernández (Atlético de Madrid), P. Kimpembé (PSG), B. Mendy (Manchester City), B. Pavard (Stuttgart), A. Rami (Olympique de Marseille, D. Sidibé (Monaco), S. Umtiti (Barcelona) e R. Varane (Real Madrid);

O setor de defesa francês é bem forte, o miolo de zaga principalmente. Com uma mescla entre experiência e juventude, as variações possíveis de dupla de zaga na França são bem interessantes. Varane e Umtiti devem formar a dupla titular da França na Copa, enquanto nas laterais, Mendy (que retorna de longo tempo afastado) e Sidibé devem ficar com a titularidade. Os reservas Rami, Pavard e Hernandez são boas opções e possibilitam versatilidade no estilo de jogo que vá querer Deschamps para determinado jogo.

Apesar das qualidades já citadas, um dos principais problemas dos franceses vão ser as laterais, já que Sidibé não está em um nível tão alto se comparado ao de laterais de outras seleções favoritas à Copa. No lado esquerdo, a qualidade técnica de Mendy é inquestionável, mas sua condição física muito preocupa. O lateral do Manchester City sofreu uma grave lesão que o deixou fora de campo por 7 meses na última temporada e jogou apenas 8 partidas, chegando para a Copa com pouco ritmo de jogo, para uma função que tanto o exige.

Meio-campistas: N. Kanté (Chelsea), B. Matuidi (Juventus), S. Nzonzi (Sevilla), P. Pogba (Manchester United) e C. Tolisso (Bayern de Munique);

O meio-campo é forte, um dos melhores dessa Copa, se pensarmos para um estilo de jogo reativo com momentos de posse e de proposição de jogo. Deschamps vai ter á sua disposição, jogadores que além de marcar, sabem sair para o jogo e tratar bem a bola, possibilitando algumas finalizações de fora da área. Podemos esperar essa chegada à frente principalmente de Pogba e Tolisso. A ausência de Rabiot pode ser estranha à muitos, mas a verdade é que Didier Deschamps não quis levar o atleta por questões de vestiário e de bem estar da equipe, optando por Nzonzi em seu lugar.

Atacantes: O. Dembélé (Barcelona), N. Fekir (Lyon), O. Giroud (Chelsea), A. Griezmann (Atlético de Madrid), T. Lemar (Monaco), K. Mbappé (PSG) e F. Thauvin (Olympique de Marseille).

O ataque francês é com certeza um dos melhores da Copa e um dos mais estrelados do planeta. Tendo Griezmann como sua referência, o setor ofensivo conta ainda com as jovens estrelas Dembélé e Mbappé, que devem municiar Griezmann com muita qualidade, junto com Lemar e Fekir.

Griezmann: a esperança francesa

Didier Deschamps optou por deixar Martial de fora e levar jogadores com diversidade na maneira de jogo, como no caso de Olivier Giroud. O atacante do Chelsea vai para a sua segunda Copa do Mundo, e é importante peça no elenco de Deschamps, e com certeza vai aparecer em muitos jogos da França na Copa, principalmente para promover uma variação em que Griezmann passa a jogar como segundo atacante.

Os suplentes: W. Ben Yedder, K. Coman, B. Costil, M. Debuchy, L. Digne, A. Lacazette, A. Martial, A. Rabiot, M. Sakho, M. Sissoko e K. Zouma

A lista de suplentes é variada e tem boas opções, o que deixa os fãs da França menos aflitos caso ocorra algum corte de última hora.

Conclusão sobre os convocados

Os nomes escolhidos por Didier Deschamps não são unânimes, provavelmente outro treinador faria outras escolhas, mas visando a ideia que Didier teve, foi uma convocação correta. Apesar de muito se falar em Rabiot, a escolha de Giroud ao invés de Lacazette pode ser mais contestada ainda.

O perfil francês é de uma seleção muito jovem e com muitos jogadores que estarão no mundial pela primeira vez, e isso pode vir a ser um ponto fraco. A falta de jogadores mais experientes pode prejudicar a França em relação a outras seleções fortes porém mais experientes.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.