Com uma mudança por lesão, Tite define titulares para confronto diante da Costa Rica

Brasileiros vão para segundo jogo com pressão por vitória e problemas na lateral-direita

captura-de-tela-5.png
Time da estreia deve se repetir, com exceção da lateral-direita(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Após a estreia com empate em 1 a 1 diante da Suíça, Seleção Brasileira volta a campo na manhã desta sexta-feira (22) em partida válida pela segunda rodada do Grupo E, contra a Costa Rica. A equipe comandada pelo técnico Óscar Ramirez vem de uma derrota frente à Sérvia e tem a esperança de surpreender adversário brasileiro nos contra-ataques para se recuperar na tabela. Já o técnico Tite espera que a estratégia utilizada no amistoso contra a Áustria funcione no duelo com os costarriquenhos.

Três pontos determinantes

Captura de Tela (4)
(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

A movimentação durante a semana dava a entender que o técnico Tite iria repetir a escalação da estréia no segundo jogo, a expectativa foi confirmada em coletiva pela comissão técnica canarinha. A única alteração, não programada, será a saída de Danilo para a entrada de Fagner. O lateral do Manchester City sentiu dores musculares no quadril e, após exames, foi diagnosticada uma lesão na região. O atleta vai fazer tratamento de fisioterapia e ficará sob a observação do departamento médico. Fagner também vem se recuperando de contusão e vai assumir a responsabilidade na posição fazendo sua primeira partida em Copas de Mundo.

Captura de Tela (7)
(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

A ansiedade atrapalhou bastante o desempenho do Brasil contra a Suíça, e esse foi um dos temas abordados por Tite na entrevista, que ponderou o resultado do primeiro jogo já projetando uma melhora neste próximo confronto.

“Aquele afã, do seu próprio técnico, da estreia no Mundial, já passou. Tem tranquilidade maior, o técnico também conta, é ser humano. Eu também estava na expectativa do primeiro jogo. Hoje tu já tem foco maior, abstração maior”, disse.

O rodízio da faixa de capitão, como prometido, será mantido. Após Marcelo vestir a braçadeira no primeiro jogo, Thiago Silva volta a assumir o posto. O zagueiro foi o capitão da Seleção na última Copa e não deixou boa impressão de liderança em 2014. Ele tem a confiança do técnico brasileiro, que o pôs como titular no lugar de Marquinhos. Thiago tem 33 anos e vai para a sua terceira Copa do Mundo, sendo o mais experiente do elenco.

Captura de Tela (6)
(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

“Se pegássemos todo mundo que foi criticado na última Copa do Mundo, teríamos terra arrasada. E a vida, o futebol não são assim. Coloquei coerentemente que havia uma série de atletas com maturidade suficiente para continuar esse rodízio. Thiago é um deles. Quando ele buscou titularidade, não foi por nível baixo. Os três estavam jogando muito. Tem maturidade suficiente para saber da necessidade de resultado, mas antes da necessidade de desempenho”, justificou o treinador.

Dessa forma, o Brasil deve entrar em campo com: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho e Philippe Coutinho; Willian, Gabriel Jesus e Neymar.

O grande desafio

captura-de-tela-9.png
(Foto: Juan Herrero/EFE)

A Costa Rica é a única seleção que não pontuou no Grupo E. Perdeu da Sérvia por 1 a 0 na estreia e viu suas chances de se classificar para as oitavas de final complicarem ainda mais. Os atletas costarriquenhos reconhecem a superioridade do Brasil e prometem dar tudo se si para conseguirem pontuar no jogo desta sexta (22).

“As chances diminuíram, com a derrota para a Sérvia, mas elas não são nulas. Temos que vencer, ou no mínimo empatar, para continuarmos vivos na competição. Amanhã (sexta) vai definir tudo, e temos 90 minutos para fazermos um grande jogo e conseguirmos um resultado que nos mantenha na Copa do Mundo”, falou Bryan Ruiz. O Capitão ainda comentou sobre a estratégia de sair no contra-ataque que deve ser colocada na partida frente aos brasileiros.

“A tática que devemos usar deve ser parecida com a do jogo contra a Sérvia, de esperar um pouco mais no primeiro tempo. Agora é ter esperança e fé para termos um bom jogo. Temos que nos concentrarmos em fazer um bom jogo, temos 90 minutos para conseguir um resultado positivo”, completou.

Captura de Tela (8)
(Foto: Stuart Franklin – FIFA/FIFA via Getty Images)

Os Ticos também apostam na bola parada para surpreender a Seleção Brasileira, o técnico Óscar Ramirez espera ser efetivo nas brechas que o adversário sul-americano possa vir a deixar.

“Não sou conformista, mas também sei o potencial do Brasil. Gostaria de poder jogar e olhar a distância, sabendo que podemos ganhar. A bola parada pode ser uma arma. Eles também têm que buscar o resultado, e podem se desequilibrar, nos dar algumas chances. Gostaria de buscar essa possibilidade de poder ganhar”, concluiu.

A única mudança no time Costarriquenho em relação à estréia é a saída do lateral-esquerdo Calvo, para a entrada de Oviedo. Dessa forma, o time titular deve ser composto por: Navas; Gamboa, Acosta, González, Duarte e Oviedo; Vengas, Guzmán, Borges e Bryan Ruiz; Ureña.

Ficha do jogo

9h/15h (horário de Brasília/Rússia)

Sexta-feira, 22 de junho

Arena Zenit, São Petersburgo

Arbitragem dos holandeses Bjorn Kuipers, auxiliado por Sander Van Roekel e Erwin Zeinstra

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.