Análise: em dia de Musa, Nigéria faz bom segundo tempo e quebra ótima defesa islandesa

Foto destacada: Divulgação/Seleção Nigeriana

Nada definido no grupo D da Copa do Mundo da Rússia! A Nigéria fez bom jogo, principalmente na segunda etapa, e derrotou a querida seleção da Islândia por 2 a 0, com gols de Ahmed Musa. Com isso, os africanos chegam aos três pontos e entram na disputa pela segunda vaga da chave, já que os croatas, com seis pontos, já estão garantidos nas oitavas. Na rodada derradeira, Nigéria enfrentará a Argentina, que comemorou o triunfo dos comandados de Gernot Rohr, enquanto os islandeses jogarão frente a Croácia.

Os quarenta e cinco minutos iniciais foram marcados por uma boa partida, bastante equilibrado, mas sem grandes chances. Depois de um ótimo jogo defensivo contra a Argentina, a Islândia parecia disposta a fazer um duelo mais aberto. Para isso, o treinador dos homens de gelo efetuou a entrada de Bödvarsson na equipe titular. No entanto, não funcionou muito bem, visto que o camisa 22 tirou espaço do craque do time, o camisa 10 Gylfi Sigurdsson.

Do lado contrário, os nigerianos também sofreram mudanças no time titular. As alterações aconteceram no ataque, com as entradas de Musa e Iheanacho nos lugares de Iwobi e Ighalo, que foram opções no. banco de reservas e entraram perto do final do jogo. Moses continuou sendo o ponta pela esquerda, enquanto Musa e Iheanacho reversaram no centro do ataque, com o camisa 7 flutuando mais da esquerda para o meio.

As chances reais de gol na primeira etapa foram dos europeus. Porém, passaram longe ser grande coisa. Logo no segundo minuto, Gylfi Sigurdsson cobrou falta e o jovem e alto goleiro nigeriano fez boa defesa. Depois, o jogador do Everton da Inglaterra tentou novamente, e o arqueiro defendeu sem grandes problemas. E após cobrança de falta do camisa 10 da direita, Finnbogason desviou e a bola passou perigosamente à direita do gol nigeriano. Apesar disso, a posse de bola da Nigéria foi relativamente superior, tendo os africanos 60% no primeiro tempo, com muitos mais passes sendo trocados.

Os quarenta e cinco minutos finais foram diferentes e de domínio nigeriano. Somente com a alteração na lateral direito, a Nigéria retornou do intervalo com muito mais sede de jogo, transformando a partida e assumindo o controle da mesma, aproveitando, principalmente, a velocidade do seu trio ofensivo. Já na primeira descida ao ataque, a jogada foi finalizada e o goleiro Halldórsson fez boa defesa.

Aos 3’, o primeiro gol do jogo. Em contra-ataque muito veloz, depois da batida típica de lateral dos islandeses, Iheanacho recuperou a bola, acionou Moses pela direita, que avançou pelo campo e cruzou para Musa fazer bom domínio e uma finalização ainda melhor, no fundo das redes da Islândia, chegando a um bonito e construído tento.

Jogando mais adiantado do que no Chelsea, Moses domina a ponta esquerda do ataque nigeriano (via Footstats)

Nesse momento, a Islândia não passava por um bom momento na partida e a Nigéria crescia dentro do jogo. Porém, a torcida islandesa dava um verdadeiro show nas arquibancadas, com os cantos e movimentos que ficaram famosos na última Eurocopa, que impressionam pela altura e com certeza inflamam os seus atletas, apesar do revés.

No minuto 20, o segundo gol africano quase saiu: Moses, sempre na direita, recebeu bom passe e tentou chute de fora da área, um foguete que assustou a defesa adversária e saiu perto do gol. O segundo tento saiu aos 29’, pouco depois de Musa ter finalizado no travessão. No segundo gol, Musa recebeu na esquerda, avançou para dentro da área, fugiu do pênalti, driblou alguns oponentes, teve frieza e colocou a bola no canto direito do gol islandês, praticamente definindo o triunfo nigeriano e se transformando no grande destaque positivo da partida.

Musa concentrou seu jogo pela esquerda, mas entrou certas vezes na área, como nos seus dois gols (via Footstats)

O negativo foi o camisa 10 adversário: Gylfi Sigurdsson. Melhor jogador da seleção islandesa não conseguiu efetuar seu futebol e teve partida ruim, não sendo capaz de armar o jogo do time e ainda isolando cobrança de penalidade, marcada com ajuda do VAR, já perto do final do jogo, aos 37 minutos. O que se sente é um pouco da falta de experiência em grandes competições por parte da Islândia, algo que não é tão sentido pela Nigéria, que já está na disputa da sexta Copa do Mundo e terceira em sequência. Também se sente que o técnico Heimir Hallgrímsson demorou a fazer alterações na sua equipe.

Apesar da boa movimentação, seu jogo na armação não encaixou (via Footstats)

Estatísticas (via 365Scores e Whoscored)

c51f6549-c4e3-40c6-abc5-0db38f18f61e

3b4e24ed-2140-448d-ad95-a6a4eca010f7

Laranja: Nigéria; Azul: Islândia
Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.