Análise: com muito volume ofensivo na segunda etapa, Alemanha vira sobre Suécia com golaço no último minuto

Foto destacada: Divulgação/DFB

Que jogo! Que Copa do Mundo! E que alívio para os alemães. A seleção da Alemanha foi surpreendida na primeira rodada do Grupo F, sendo derrotada para o México por 1 a 0, gerando preocupação nos comandantes da equipe. Na tarde desse sábado, no Estádio Olímpico de Sochi, os comandados de Joachim Löw enfrentaram o competente time da Suécia e alcançaram emocionante vitória por 2 a 1, de virada, com gol decisivo marcado no último minuto dos acréscimos, em golaço de falta de Toni Kroos. Os outros tentos do duelo foram marcados por Toinoven, para os suecos, e Marco Reus, para os atuais campeões mundiais.

A primeira etapa do confronto foi marcada, de forma principal, pela triste e dura lesão do meio-campista Rudy e com o gol sueco, marcado durante o momento em que os alemães estavam com um jogador a menos em campo. Os comandados de Jan Andersson foram inteligentes e assim como atuaram diante da Itália, na repescagem europeia, se mostraram com um setor defensivo muito sólido e seguro, com as saídas ao ataque por meio dos contra-ataques.

Já a Alemanha, que já tinha sofrido com os contra-ataques do México, tentou pressionar o seu oponente no campo de ataque, mas foram poucas as chances claras dos alemães no primeiro tempo. E num lance infeliz, Rudy, que entrou na equipe titular na vaga de Khedira, sofreu dura entrada das travas da chuteira de um jogador sueco no rosto e acabou fraturando o nariz, gerando bastante sangue, que inviabilizou o diagnóstico rápido dos médicos. Isso gerou uma certa demora e fez com que Low mantivesse sua equipe com apenas dez jogadores em campo. Muito inteligente, a Suécia acelerou o jogo nesse momento e deu o bote certo com Toinoven, que aproveitou um raro erro de passe de Kroos e abriu o placar com um golaço, aos 32’.

Gündoğan entrou na vaga de Rudy, mas demorou a entrar no jogo. A Alemanha tentou pressionar nos momentos finais do primeiro tempo, no entanto a defesa sueca se portou bem e segurou o ímpeto alemão, que tentava ir aos vestiários com o empate, pois já se via em uma complicada situação, na qual a eliminação era real.

Foto: Divulgação/DFB

Eis que começa a segunda etapa, palco de grande pressão da Alemanha, a continuação do bom trabalho defensivo sueco, de expulsão de Boateng e dos gols de Reus e Kroos, que abriram e fecharam os 45 minutos finais, respectivamente. Marco Reus, logo aos 3’, foi as redes, depois de completar para o canto direito do goleiro Olsen um cruzamento da esquerda do centroavante Mario Gómez. A pressão continuaria e aos 5’, Müller desviou uma cobrança de falta de Kroos e quase virou o placar.

A pressão alemã se baseava no seguinte esquema: Kroos e Gündoğan eram responsáveis pela armação das jogadas, Boateng se adiantando muito pela direita e auxiliando Kimmich pela direita, Hector também bem ativo pela esquerda, Werner na ponta esquerda, Müller flutuando por todo ataque, Gómez dentro da área e Reus pelo flanco direito. Time extremamente ofensivo, que tinha um objetivo claro: a vitória. E foi responsável por um volume gigantesco no ataque.

Mesmo com expulsão, Boateng fez um grande jogo e foi muito efetivo pela direita (via Footstats)

Aos 10’, Hector inverteu posição e foi responsável pela finalização, batendo fraco e facilitando a defesa do arqueiro. Cinco minutos depois, Reus quase fez seu segundo gol desviando de letra cruzamento da direita. Aos 22’, Gómez perdeu chance inacreditável, finalizando por cima, mas o árbitro, incorretamente, tinha marcado impedimento. A Alemanha continuava com um grande ímpeto ofensivo, até que aos 37’ Boateng foi expulso, gerando uma complicada situação para Low.

O treinador decidiu que empate ou derrota seriam praticamente a mesma coisa e efetuou a entrada de Brandt na vaga de Hector, que poderia substituir Boateng na defesa, ficando apenas com Rüdiger na zaga. O camisa 20 entrou com intensidade mais uma vez e acertou novamente a trave, como tinha acontecido contra os mexicanos. Nos momentos finais, a Alemanha era a equipe aparentemente com um jogador a mais e deixava a Suécia inteiramente no campo de defesa.

Até que aos 49’, o craque resolveu aparecer. Kroos não fazia bom jogo, mesmo com as jogadas passando por seu pé em quase todos os momentos o meio-campista errava passes que normalmente não erra. Em falta na lateral esquerda da área adversária, Toni pensou e resolveu cobrar em dois lances, com Reus ajeitando a bola para o camisa 8 colocar a bola no ângulo do grande Olsen, que havia realizado grande defesa em cabeçada de Gómez minutos antes, fazendo golaço e decretando uma gigante vitória dos alemães, os colocando definitivamente na disputa da Copa do Mundo.

via Whoscored

Estatísticas (por 365Scores)

7bcf57a2-2e16-4429-a085-648816fa3024

51617e6a-1fd5-4a51-95da-f470ccc3f4b4

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.