Vale vaga e liderança: Dinamarca e França fazem o duelo dos líderes do grupo C da Copa

Foto destacada (Estádio Luzhniki, local da partida): Stuart Franklin/FIFA via Getty Images

Nesta terça-feira (26), às 11h no horário de Brasília, Dinamarca e França se enfrentam pela última rodada do grupo C da Copa do Mundo. E a partida vale muito para as duas equipes. A Dinamarca, com quatro pontos, é a vice-líder da chave e ainda tem chances – remotas – de perder a vaga nas oitavas de final (a Austrália vem logo atrás com um ponto e enfrenta o eliminado Peru). Por isso, é preciso pontuar para garantir de vez a classificação sem precisar de resultados alheios.

E uma vitória pode embolar de vez o chaveamento do mata-mata. Isso porque a França é líder do grupo com seis pontos. Um empate entre os dois mantém os Les Bleus com a liderança, mas uma vitória dá à De Rød-Hvide a liderança e a condição de enfrentar o vice-líder do grupo D nas oitavas – hoje, é a Croácia. A promessa é de um jogo disputado e extremamente equilibrado no Estádio Luzhniki, em Moscou.

Ainda sem vaga garantida, Dinamarca depende apenas do empate para confirmar ida às oitavas

Mesmo sem um grande futebol, a Dinamarca chega praticamente classificada. Depois da vitória (com muito sofrimento) contra o Peru por 1 a 0, com gol de Yussuf Poulsen, esperava-se que o time garantisse a vaga nas oitavas na partida contra a Austrália. Mas o desempenho foi abaixo do esperado, e o empate em 1 a 1 (Christian Eriksen marcou para os dinamarqueses) deixou a De Rød-Hvide ainda na pendência da classificação.

Para a última rodada, o técnico Age Hareide pode ter um reforço inesperado. O meia William Kvist, que fraturou duas costelas e teve o pulmão perfurado no jogo contra o Peru, deixou a delegação e era dado como fora do Mundial, mas se recuperou rapidamente e foi reintegrado ao elenco na Rússia. Com isso, ele já treina e pode reforçar o time. Desfalque mesmo é Poulsen: o atacante que fez o gol da vitória contra os peruanos está suspenso pelo segundo amarelo (curiosamente, os amarelos vieram em dois pênaltis marcados pelo VAR, o árbitro de vídeo). Para o seu lugar as opções iniciais devem ser Lasse Schöne, que substituiu Kvist nos dois últimos jogos, e Andreas Cornelius, que entrou durante o segundo tempo contra a Austrália.

Poulsen Denmark Australia 2018 World Cup
Suspenso por dois cartões “denunciados” pelo VAR, Poulsen não joga contra a França (Foto: Ulrik Pedersen/Action Plus via Getty Images)

Um dos grandes destaques do time dinamarquês é o goleiro Kasper Schmeichel. Aos 31 anos, o campeão inglês pelo Leicester em 2016 e filho do grande Peter Schmeichel (possivelmente o maior goleiro da história do país) tem sido muito importante nesta Copa, especialmente no jogo contra o Peru, onde fechou o gol e foi diretamente responsável pela vitória. Na coletiva pré-jogo nesta segunda-feira (25), Schmeichel defendeu sua seleção das críticas sofridas após o empate contra a Austrália e afirmou que o time ainda está em boa condição de classificação contra a França.

Caso alguém nos oferecesse quatro pontos em dois jogos antes de começarmos a Copa, eu diria ‘sim, por favor’. Nós estamos em uma boa posição. Claro, se tivéssemos ganho o último jogo seria um pouco mais fácil para nós. Mas como a classificação está em nossas mãos, estamos felizes”, disse o camisa 1.

Com 100% de aproveitamento, França quer vencer para chegar em grande fase ao mata-mata

A França chegou à Copa como uma das favoritas ao título. E mesmo sem mostrar um futebol vistoso em todo o tempo, tem conseguido resultados que sustentam esse rótulo. O time foi um dos sete na Copa a terminar as duas primeiras rodadas com 100% de aproveitamento, depois de vencer a Austrália por 2 a 1 (gols de Antoine Griezmann e do australiano Aziz Behich contra) e o Peru por 1 a 0, com gol de Kylian Mbappé, o mais jovem a marcar pelo país em uma Copa com 19 anos e 183 dias de idade.

O técnico Didier Deschamps deve ir com um time alternativo para a partida. Nas duas grandes competições que disputou como treinador da França (Copa 2014 e Euro 2016), poupou titulares na última rodada da fase de grupos. Com Paul Pogba, Blaise Matuidi e Corentin Tolisso pendurados e Griezmann com problemas de desgaste físico publicamente assumidos pelo técnico, é possível vermos alguns substitutos em campo. Os reservas dos Les Bleus tiveram um teste enfrentando o time sub-19 do Spartak Moscou na última sexta-feira (22), e venceram por arrasadores 11 a 0.

Pogba France Peru 2018 World Cup
Estrela do time francês, Pogba está suspenso e desfalca sua seleção contra a Dinamarca (Foto: Robbie Jay Barratt – AMA/Getty Images)

Um dos grandes nomes do time, Pogba tem sido muito criticado por conta do desempenho abaixo da média nas partidas iniciais. Mas o camisa 6 garantiu que só pensa em ganhar a Copa e ignora as críticas, além de deixar claro que a França vai jogar para vencer a Dinamarca em Moscou. “Estou esquecendo os críticos, a única resposta é em campo. Dou o meu melhor por esta camisa. Eu realmente quero ganhar esta Copa do Mundo. A Dinamarca é um bom time com jogadores de qualidade, mas somos a França e sei que eles estão nos vendo e nos estudando também. Queremos ser líderes do grupo, e eles também. Vai ser uma grande partida”, disse o meia do Manchester United.

Estatísticas e retrospecto

Em toda a história, são 15 confrontos entre as duas seleções. A França venceu oito jogos e a Dinamarca seis, além de um empate. Este será o terceiro jogo entre eles em uma Copa do Mundo, e por coincidência, os outros dois também aconteceram na última rodada da chave. Em 1998, jogando em casa e na campanha de seu único título, os franceses venceram por 2 a 1. Já em 2002, os dinamarqueses ganharam por 2 a 0 e sacramentaram o vexame da França, que chegou como campeã mundial, europeia e da Copa das Confederações, mas foi eliminada na primeira fase.

Além disso, outros três confrontos já aconteceram na Eurocopa. E curiosamente, os vencedores dos duelos acabaram campeões. Em 1984, quando também jogou em casa, a França venceu a Dinamarca na abertura do torneio por 1 a 0 e depois levou sua primeira taça continental. Em 1992, a Dinamarca venceu por 2 a 1 na última rodada da fase de grupos e foi para o mata-mata, onde conquistou um inédito e histórico título. E em 2000, os franceses iniciaram a campanha do bi europeu batendo os dinamarqueses por 3 a 0.

France Denmark 1998 World Cup
A França de Desailly (esq.) bateu a Dinamarca de Sand (dir.) na primeira fase da Copa de 1998 (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

A partida desta terça (16) terá arbitragem brasileira: Sandro Meira Ricci apita, auxiliado por Emerson de Carvalho e Marcelo van Gasse. É o segundo jogo do trio na Copa, que também apitou Croácia 2×0 Nigéria, pela primeira rodada do grupo D.

Prováveis escalações:

Dinamarca: Schmeichel; Dalsgaard, Kjaer, Christensen e Larsen; Delaney, Schöne (Kvist) e Eriksen; Schöne (Cornelius), Sisto e Jorgensen. Técnico: Age Hareide.

França: Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Hernández; Kanté, Pogba (N’Zonzi) e Matuidi (Tolisso); Griezmann (Fekir), Mbappé (Thauvin) e Giroud (Dembélé). Técnico: Didier Deschamps.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.