Após sofrer gol nos acréscimos, Inglaterra elimina Colômbia nos pênaltis

Duelo entre ingleses e colombianos fechou com muita emoção a fase de oitavas de final

 

Inglaterra e Colômbia se enfrentaram na Arena Spartak, em Moscou, encerrando as oitavas de final de Copa do Mundo 2018. Os latinos tinham o desfalque de James Rodriguez, seu principal jogador, mas buscavam a classificação para as quartas, repetindo o feito de 2014 no Brasil. Do lado europeu, a jovem geração da Terra da Rainha lutava para manter vivo o sonho do bi, 52 anos depois.

Após um empate em 1×1 no tempo normal em um jogo marcado pela tensão e por marcações fortes, a emoção tomou conta da reta final, com a Colômbia buscando o empate nos acréscimos do segundo tempo. Mas, nos pênaltis, a Inglaterra avançou vencendo por 4×3, mesmo largando atrás na disputa.

De início, muita marcação e poucas emoções

Nos primeiros minutos, os ingleses ditaram o ritmo do jogo diante de uma seleção colombiana que, sem seu melhor jogdor, buscava explorar os contra-ataques. Apesar de começar a partida levando pressão, os sul-americanos tinham a seu favor a velocidade na troca de passes, enquanto os ingleses demonstravam rápida recomposição defensiva para se proteger das investidas adversárias, exercendo sua marcação de forma eficiente e organizada, no esquema 3-5-2.

O primeiro susto aconteceu aos 5 minutos de jogo, em cobrança de falta lateral de Ashley Young direto para o gol, mas Ospina, atento, tirou de soco. Dez minutos depois, em jogada de linha de fundo, Kane recebeu cruzamento na pequena área, mas mesmo sem goleiro, não cabeceou em cheio e mandou por cima. Ao mesmo tempo em que explorava as jogadas aéreas, onde haviam feito 6 dos 8 gols na Copa até então, os ingleses esbarravam no bom desempenho pelo alto da Colômbia, comandado por Yerry Mina.

Na reta final da primeira etapa, ambas as equipes seguiam com dificuldades de penetrar na defesa adversária, se limitando a chutes de longa distância que não ofereceram muito perigo. A melhor tentativa surgiu após falta sofrida por Kane em boa jogada individual. Na cobrança, Trippier mandou para fora.

inglaterra x colombia
(Divulgação/ The Football Association)

Inglaterra sai na frente, controla, mas cede empate no fim

No segundo tempo, o jogo seguiu truncado, marcado por fortes marcações e jogadas pelo alto. Em uma delas, em cobrança de escanteio, Harry Kane sofre pênalti e ele mesmo converte, batendo com frieza no meio do gol. Após o gol, o duelo ficou ainda mais nervoso, com muitas faltas e reclamações dos atletas com o árbitro.

Continuando bem postada defensivamente, a Inglaterra conseguiu administrar bem o resultado, sem maiores sustos, mas também só voltou a assustar ofensivamente em um lance, na cabeçada de Dele Alli, abrindo mão da busca do gol que mataria o jogo, mesmo aparentando ter controle do placar. Do outro lado, os ataques colombianos levavam perigo à meta inglesa, ficando nítida a falta que James Rodrigues fez durante todos os 90 minutos.

Porém, nos minutos finais, o ritmo foi intensificado e as chances começaram a aparecer. Aos 36, Bacca roubou a bola de Walker e desceu com perigo, servindo Cuadrado, que finalizou muito mal e errou o alvo. Falcão tentou duas vezes, aos 40 de cabeça e aos 41 em chute de longe, mas mandou para fora e parou no goleiro, respectivamente. Porém, nos acréscimos, após escanteio originado por uma defesa espetacular de Pickford em chute improvável de Uribe, Mina subiu e testou para o gol, levando a partida para a prorrogação.

kane
(Divulgação/ The Football Association)

Cansaço e entrega marcaram prorrogação

Como de costume na prorrogação, os dois times sentiram o lado físico e o ritmo foi menos intenso. Porém, diferente do que se via quando o jogo estava empatado em 0x0, a Inglaterra não mais se impunha em campo, e a Colômbia, embalada pelo gol no final, tinha mais posse e objetividade, chegando a levar perigo em cabeçada de Falcão Garcia para fora.

Nos últimos 15 minutos de bola rolando, o cansaço ficou escancarado com atletas sentindo cãibras, como foi o caso de Mina e Walker, com este segundo chegando a ser substituído por não aguentar mais. Porém, nenhum dos lados parecia satisfeito com a ideia de decidir nos pênaltis e não deixaram de se atirar ao ataque. A Inglaterra teve as melhores chances, em chute cruzado de Rose e cabeçada de Dier.

Inglaterra erra primeiro, mas consegue classificação

Nos pênaltis, Falcão Garcia chamou a responsabilidade e iniciou as cobranças, batendo firme no meio e convertendo. Harry Kane, que marcou de pênalti no tempo normal, repetiu o feito, batendo forte no canto direito, como de costume. Na segunda rodada, Cuadrado e Rashford converteram, ambos escolhendo o canto direito e acertando, apesar dos arqueiros terem ido na bola. Muriel, com muita categoria, fez o terceiro da Colômbia, mas Henderson parou em Ospina. Podendo abrir 4×2, Uribe acertou o travessão, abrindo possibilidade para o empate inglês logo em seguida, com Trippier. Na última rodada, Bacca chuta forte, mas Pickford cresce no lance e defende, dando a Dier, a oportunidade de classificar os ingleses, e o volante não desperdiçou, apesar de Ospina ainda ter chegado a tocar na bola.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.