Neymar “renasce” e Mbappé é o craque das oitavas. Confira a seleção completa!

Restam 8. Depois de muita emoção, zebra e disputa de penalidades, as oitavas de final da Copa do Mundo 2018 foi finalizada na tarde desta terça-feira (03) com a dramática disputa entre Colômbia e Inglaterra pela última vaga nas quartas sendo decidida nos pênaltis. Mas dos 8 jogos, quais jogadores se destacaram mais? Quem “mitou” e quem surpreendeu? Confira a seleção da 2L e veja se gostou dos nomes!

GOLEIRO
A imagem do pai, Peter Schmeichel, vibrando com a defesa de pênalti, já na prorrogação, do filho Kasper Schmeichel, ilustra bem o quão grande foi o goleiro da Dinamarca na partida contra a Croácia. Numa oitavas de final em que outros três goleiros se destacaram, o arqueiro do Leicester teve papel decisivo ao defender um pênalti na prorrogação e mais outros dois na disputa de penalidades. Uma pena que o seu país não avançou. Mas a 1 é dele!

2018-07-01t202907z-2101959651-rc147ef0e2f0-rtrmadp-3-soccer-worldcup-cro-dnk
Peter Schmeichel voa para pegar pênalti de Modric (Foto: REUTERS/Carlos Barria)

LATERAL DIREITO
Há alguns meses atrás, era impensável que Fagner faria parte de um sistema defensivo sólido da seleção brasileira numa Copa do Mundo e se destacaria pela precisão nos desarmes e nos embates mano a mano. Mesmo não chegando (se recuperando de uma lesão) 100% à Rússia o lateral do Corinthians substituiu o até então titular Danilo de maneira regular e fez partida segura contra o México.

ZAGUEIROS
O brasileiro Thiago Silva vem fazendo uma competição sublime até aqui e sendo um dos destaques da posição no mundial, dá indícios de que pode figurar na seleção final da FIFA da Copa do Mundo 2018. Segurança e imposição definem mais uma boa atuação, dessa vez contra o México. Ao seu lado escalamos o gigante Yerry Mina que mais uma vez salvou a Colômbia do pior. A bola aérea do zagueiro, ex-Palmeiras, foi fatal pela terceira vez seguida e encaminhou para a prorrogação um jogo que parecia ganho pelos ingleses. O jogo pelo alto não se resumiu na frente e Mina foi soberano quando a Inglaterra escapava para o campo de ataque, já na prorrogação. Melhor partida-e última- do zagueiro, que se despediu do mundial.

LATERAL ESQUERDO
Apesar de ter feito o segundo gol da Argentina, Mercado foi uma verdadeira avenida e Lucas Hernández aproveitou bem o espaço dado pelo argentino no corredor esquerdo do ataque francês. Com uma atuação segura na defesa e sendo assíduo no segundo e terceiro gol da França, o atleta do Atlético de Madrid foi o melhor lateral esquerdo dessas oitavas.

MEIO CAMPISTAS
Com uma trinca de meias, escolhemos a dupla de volantes francesa Kanté e Matuidi para iniciar a transição desta seleção. O primeiro, por mais uma partida regular (talvez o melhor da posição neste mundial) e botes precisos que incomodaram a estrela adversária Lionel Messi, o segundo, principalmente pela ótima atuação tática. O jogador da Juventus foi intenso e preciso na transição de jogo francesa, acionou Lucas Hernández no gol de Pavard e iniciou o lance do quarto gol francês, além disso, foi ótimo na recomposição e dificultava a criação de jogo da Argentina. Para o acabamento final do meio dessa seleção escolhemos o brasileiro Willian, que finalmente despertou nesse mundial e foi peça ativa nos ataques do Brasil, provendo uma assistência e levando perigo em outros lances ofensivos.

15305473595b3a4c9fe4007_1530547359_3x2_rt
Willian “estreou” na Copa. Foto: Saeed Khan/AFP

ATACANTES
O ataque é formado, coincidentemente, pelo trio MCN, traduzindo: Mbappé, Cavani e Neymar. Os atletas, que atuam juntos no PSG, foram decisivos e melhores em campo por suas respectivas seleções. Enquanto o francês foi um verdadeiro tormento para a defesa da Argentina com sua velocidade e incisão sofrendo um pênalti e fazendo dois gols, o uruguaio foi eficiente e marcou os dois gols da vitória da celeste sobre Portugal. Enquanto que o brasileiro, em processo evolutivo, fez sua melhor partida na Copa até então e foi diretamente responsável pela vitória por 2 a 0 contra o México fazendo um gol e provendo uma assistência.

TÉCNICO
Para finalizar a seleção, nada mais justo do que escolher o técnico responsável por orientar a seleção que atuou de maneira mais equilibrada nesta primeira fase de mata mata. Adenor Leonardo Bachi, ou simplesmente Tite, parece estar de fato trazendo a frase “mentalmente forte” para o campo. Atuando de maneira segura, sobretudo no segundo tempo, a seleção brasileira vai ganhando corpo e confiança para o restante da competição. Valeu professor!

8f00e060-76ce-11e8-bc2a-21c473ef5f97_GettyImages-981227398-1-
Foto: Getty Images
Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.