Análise: Em jogo pobre tecnicamente, Sport arranca empate com a Chapecoense no fim

As equipes do Sport e da Chapecoense entraram em campo pelo Campeonato Brasileiro, neste domingo (05),  na Ilha do Retiro, em busca de reabilitação. A equipe da casa não contava com gol de Wellington Paulista logo no incio da partida.  Carlos Henrique empatou de cabeça no fim do jogo. A partida terminou em 1×1 sob protestos dos torcedores rubro-negros.

O inicio de jogo foi de muito estudo por ambas as partes. Em situação delicada na tabela do Brasileirão, as equipes não queriam se expor muito. O Sport começou um pouco mais agressivo, com a sequência de resultados negativos e jogando diante da sua torcida, a equipe da casa procurou um pouco mais o gol no inicio de jogo, mas nada que pudesse ser considerada uma pressão. Um chute de longe de Felipe Bastos que desviou na defesa foi o primeiro lance de perigo do Sport que apesar de ter mais posse não conseguia criar.

Já a Chapecoense, se posicionava para explorar a transição rápida e tentar pegar a equipe da casa desprevenida. Claramente pronta para o contra-ataque, à equipe de Gilson Kleina marcava forte e esperava sua chance no jogo que veio em bela jogada individual de Yan Rollim pela esquerda. O jogador recebeu o passe de Osman, ganhou de Deivid e Ronaldo Alves e tocou para Wellington Paulista abrir o placar na Ilha do Retiro. 1×0 Chapecoense. Yan Rollim acabou substituído ainda no primeiro tempo após sentir uma lesão no joelho.

O gol parece ter mexido com a equipe da casa que seguia com dificuldades para fazer funcionar o setor de criação. Gabriel não suportava a marcação forte do setor defensivo da equipe catarinense. Andrigo e Marlone também não eram capazes de dar a profundidade necessária para a equipe. Percebendo de que teria dificuldades para quebrar as linhas da chape, o Sport passou a explorar a bola área e despejou vários cruzamentos na área de Jandrei. As bolas na área não eram frutos de triangulações ou jogadas trabalhadas e por conta disso não levava perigo a meta do Índio de Condá.

Com posse, mas pouca criação, o Sport só assustou em cobrança de falta que Marlone colocou na cabeça de Felipe Bastos; por pouco o Sport não empata. Antes do fim, outro lance de bola parada levou perigo, desta vez foi Ronaldo Alves quem apareceu com liberdade e acabou cabeceando para fora. Apesar da vantagem, nem chape nem Sport foram felizes na primeira etapa. Em jogo fraco tecnicamente, o gol foi a única parte emocionante do jogo, após a abertura do placar as equipes não apresentaram um bom futebol e o jogo terminou sua primeira a etapa desta forma. 1×0 Chapecoense que vivia a expectativa de conquistar sua primeira vitoria fora de casa na competição.

O Sport voltou para o segundo tempo com Rafael Marques no lugar de Deivid, com isso Gabriel e Marlone passaram a jogar como interiores aparecendo para ajudar na construção do jogo e melhorar a transição da equipe. O retorno da segunda etapa fez parecer que a ideia de Claudinei daria certo. Um pouco mais agressiva, a equipe rubro-negra passou a incomodar. A chape demorou a encaixar a marcação e por muito pouco não sofreu um golaço. Gabriel pegou de primeira e mandou muito perto do gol.

Incomodado com o volume da equipe da casa na segunda etapa Kleina fez uma alteração tática que teve como ideia principal voltar a marcar bem e explorar a transição rápida característica da equipe. Bruno Silva entrou no lugar de Osman e deu velocidade a equipe catarinense. A tentativa era segurar Winck no campo de defesa e evitar profundidade do lateral direito rubro-negro.

Apesar das mexidas o jogo não agradava ninguém, duas equipes limitadas que tem dificuldades de encaixar o seu modelo de jogo. O Sport foi tendo mais volume de jogo no segundo tempo,  apesar de ter uma maior posse de bola a equipe vivia sem uma única jogada trabalhada devido a boa marcação da Chapecoense e ia arriscando chutes para longe e tentando usar da estatura de Carlos Henrique e Rafael Marques na bola aérea .  A Chape só chutou a gol na segunda etapa após o minuto 30; Canteros recebeu de frente para o gol e bateu firme, Magrão espalmou para escanteio, na sequência o próprio Canteros cobrou na área, Bruno Silva escorou para Thyere fazer, mas o goleiro Magrão fez uma defesa incrível.

O jogo se encaminhava para uma vitoria da Chapecoense, mas a insistência da equipe da casa no chuveirinho acabou dando certo ao apagar das luzes. Claudio Winck colocou na área e Carlos Henrique bem posicionado mandou para o fundo das redes. Alivio na Ilha do Retiro que protestou contra Arnaldo Barros e Claudinei durante o jogo. 1×1 foi o placar final da partida. O empate não agrada a nenhuma das equipes que estão mal colocadas na classificação. O Sport cada vez mais próximo do Z4 com 20 pontos e a Chape a primeira equipe fora da zona de rebaixamento com 18 pontos.

As equipes seguem suas batalhas particulares, o Leão recebe o embalado São Paulo no próximo domingo (12) as 16h, na Ilha do Retiro. No mesmo dia e no mesmo horário, a Chapecoense recebe o Corinthians na Arena Condá.

Anúncios

Um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.