Náutico joga melhor, pressiona Bragantino, mas empata e não consegue acesso para Série B

Foto: Divulgação/Bragantino

O sonho do acesso, pelo menos para o Náutico, ficará para o ano que vem. Isso porque o Timba não conseguiu reverter a desvantagem do primeiro jogo contra o Bragantino, ao empatar por 1 a1 na Arena de Pernambuco. Assim, o Timbu encerra a sua participação no Campeonato Brasileiro da Série C; o Massa Bruta, já garantido na Série B, continua sua caminhada.

Desde o início da partida, ficou claro quais seriam as posturas dos dois times em campo. Enquanto o Náutico se mostrava bastante ofensivo, em busca do gol, o Bragantino se agarrou com a vantagem e marcava atrás da linha da bola. Mesmo quando tinha a bola nos pés, a equipe paulista mal conseguia passar do meio de campo, devido aos muitos erros de passe.

Antes mesmo dos quinze minutos iniciais, o Timba teve três chances claras para marcar em bolas paradas. A primeira foi com Josa, que aproveitou sobra após cobrança de falta e perdeu gol incrível, mandando para fora. Novamente em cobrança de falta, mas dessa vez com Camutanga de cabeça, o Náutico ficou próximo de abrir o placar. Por último, Josa teve nova oportunidade e mandou para longe.

Com tantas oportunidades desperdiçadas, o Náutico viria a sofrer um grande castigo. Dudu cabeceou para grande defesa de Alex Alves. No contra-ataque, o gol do Massa Bruta; Magno bateu e Bruno defendeu. Na sobra, Vitinho cruzou e Matheus Peixoto mandou para o fundo das redes de cabeça, aumentando ainda mais a vantagem do alvinegro na Arena de Pernambuco.

O segundo tempo voltou em uma voltagem parecida com os primeiros 45 minutos, mas o Náutico não conseguia ter tantas chances. Já o Braga voltou ainda mais recuado, contando com Vitinho para ser o homem que tentaria as poucas jogadas ofensivas. Tanto que foi ele que roubou bola de Assis, driblou Bruno e fez o gol, corretamente anulado por falta na origem da jogada.

A partir dos 20 minutos, o Náutico retornou com uma pressão gigantesca em cima do time alvinegro. Aos 21, Robinho esteve frente a frente com Alex Alves e mandou por cima do gol. Dois minutos depois, Wallace estava pronto para receber dentro da área, mas Adenilson pôs a mão na bola. O atacante alvirrubro foi para a cobrança e bateu o lado esquerdo, para grande defesa de Alex Alves, que naquela altura, já se configurava um dos heróis da eliminatória.

Uma esperança ainda viria para a torcida alvirrubra. Wallace Pernambucano aproveitou escanteio bem cobrado e cabeceou para o fundo das redes. Mesmo assim, o Náutico ainda precisava de dois gols e, apesar da luta, demonstrava muito cansaço. O time ainda tentou alguns cruzamentos, mas nenhum que oferecesse muito perigo.

Ao final do jogo, enquanto os jogadores do Bragantino comemoravam, os do Náutico caíram em campo. Das arquibancadas, ao invés de vaias, gritos de “Olê, Náutico”, reconhecendo o esforço da equipe pernambucana.

 

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.